Cientistas ‘hackeiam’ cérebro de ratos e ‘apagam’ vício em morfina

Cientistas ‘hackeiam’ cérebro de ratos e ‘apagam’ vício em morfina

Uma das partes mais complicadas de tratamentos de dependências químicas é evitar que pacientes tenham as chamadas “recaídas” (quando voltam a consumir a substância a ser evitada). Agora, pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências podem estar perto de encontrar uma solução para esse problema. De acordo com eles, foi possível “hackear” o cérebro de roedores e “apagar” a memória associada ao vício em morfina.

Ainda que o cérebro humano seja bem mais complexo do que o de ratos, a novidade foi considerada promissora na busca de alternativas que auxiliem pessoas no combate a opioides. Durante o tratamento, um implante de fibra óptica foi inserido em uma região chamada tálamo paraventricular, diretamente ligada aos sintomas de abstinência, e lançou luz sobre ela.

Com o caminho das respostas do organismo “bloqueado”, bastou um dia para que os animais não mais procurassem por morfina – sendo que os efeitos duraram pelo menos 2 semanas, mesmo depois de o implante ser retirado.

Zhu Yingjie, um dos autores responsáveis pela pesquisa.

Cientistas “apagam” vício em morfina

De acordo com a pesquisa, publicada no periódico Neuron, pessoas tendem a ter recaídas não apenas por sentirem falta da sensação causada pelas substâncias, mas também para evitar os sintomas da abstinência, que podem ser devastadores – incluindo náusea, vômito, dor e cólica. Com a nova abordagem e a redução das manifestações, parece que os bichinhos foram capazes de abandonar velhos hábitos facilmente.

Zhu Yingjie, um dos autores, comemora: “Nosso sucesso na prevenção de recaídas em roedores pode se transformar, um dia, em um tratamento duradouro para o vício de pessoas”.

Fonte: TecMundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *